"Ameaçaram abrir fogo se não rumássemos para as suas águas territoriais. Na prática, é um sequestro", escreveu no Twitter na tarde desta terça-feira Oscar Camps, responsável de operações da ONG.

De acordo com as informações dos sites de rastreamento de tráfego marítimo, o Golfo Azzurro encontrava-se a 24 milhas náuticas do litoral líbio, em águas internacionais e bem longe do limite de 12 milhas da costa que demarca as águas territoriais.

Há uma semana, contudo, a Líbia reivindica a jurisdição exclusiva para dirigir eventuais operações de resgate marítimo numa faixa de cem milhas a partir da sua costa.

Horas depois, Camps enviou uma nova mensagem onde indicava que os guardas costeiros líbios tinham desistido da sua pretensão. "Golfo Azzurro libertado, já navega rumo ao norte. Quase duas horas sequestrados sob duras ameaças e ordens de guardas costeiros líbios".

Questionados pela AFP, os serviços de guarda costeira da Líbia disseram que não estavam em condições de confirmar o incidente antes de realizar verificações.

A Proactiva Open Arms já tinha denunciado na semana passada ameaças de guardas costeiros líbios que fizeram disparos contra outro navio da ONG, obrigando a embarcação a deixar a região. Este navio está atualmente em manutenção em Malta.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.