“O cessar-fogo estava a ser mantido em grande parte, apesar de informações sobre violações de ambos os lados em várias áreas”, afirmou em comunicado o enviado especial das Nações Unidas para o Iémen, Ismail Uld Sheij Ahmed.

A nota solicita que a trégua, em vigor desde quarta-feira, seja renovada por outro período de 72 horas e que se trabalhe para alcançar um final permanente e duradouro do conflito.

Segundo o alto funcionário da ONU, o cessar-fogo permitiu nos últimos dias prestar assistência humanitária em diversas zonas e possibilitou que alguns membros das Nações Unidas acedessem a áreas onde anteriormente não podiam chegar.

Uma coligação árabe dirigida pela Arábia Saudita começou em março de 2015 uma ofensiva militar contra os rebeldes huthis e em apoio ao presidente iemenita, Abd Rabbo Mansur Hadi, que se encontra exilado no país vizinho.

Segundo dados da ONU, desde então morreram cerca de 7.000 pessoas e três milhões foram obrigadas a deixar as suas casas.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.