Segundo fonte da Guarda Nacional republicana (GNR), na segunda fase da operação Via Livre foram feitas 1.929 fiscalizações e detetadas também 675 infrações por excesso de velocidade, 72 por falta de inspeção periódica obrigatória dos veículos, 88 por uso de telemóvel durante a condução, 17 por falta ou uso inadequado de cintos de segurança e cadeirinhas para crianças e cinco por excesso de álcool.

No total, a operação resultou em 1.116 contraordenações, de acordo com a GNR.

A segunda fase da operação Via Livre, que durou entre dia 27 de março e 02 de abril, envolveu 568 militares e previa ações de fiscalização para combater a circulação abusiva pela via do meio e da esquerda sem que haja trânsito nas vias da direita.

A operação tinha arrancado no dia 2 de março, mas inicialmente apenas com ações de sensibilização, alertando os condutores para os constrangimentos e perigos provocados pela circulação indevida, tando ao nível da segurança rodoviária como da fluidez do tráfego.

As ações decorreram em autoestradas e nas vias reservadas a automóveis e motociclos.

“A prática da circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda sem que exista tráfego nas vias mais à direita, para além de constituir infração ao Código da Estrada, causa constrangimentos à segurança rodoviária e à fluidez de tráfego”, lembra a GNR, frisando que esta atitude potencia outras infrações por parte dos condutores.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.