O Grande Prémio de Portugal de MotoGP é isso mesmo: de Portugal. Miguel Oliveira, pela KTM, correu e venceu em Portimão.

No Autódromo Internacional do Algarve, o piloto português, que partiu da ‘pole position’ — traduzindo, que iniciou a corrida na primeira posição da grelha de largada —, comandou desde a primeira volta, alcançando a segunda vitória da temporada, na 14.ª e última ronda do Mundial da prova rainha do motociclismo de velocidade.

O piloto gastou 41.48,163 minutos para cumprir as 25 voltas ao traçado algarvio, deixando o australiano Jack Miller (Ducati) na segunda posição, a 3,193 segundos, e o italiano Franco Morbidelli (Yamaha) em terceiro, a 3,298 segundos, somando a segunda vitória da temporada.

Mas esta foi uma vitória com outro sabor, considerando as provas pré-pandemia: hoje, Miguel Oliveira celebrou apenas com a equipa e com a família, no interior de um circuito sem público devido às restrições impostas na sequência da covid-19.

No exterior do autódromo, a vitória foi celebrada pelos funcionários posicionados junto à entrada do complexo, numa área sem movimento, sendo apenas visível a presença reforçada de militares da GNR — que, ao longo do fim de semana, impediram a passagem de pessoas, condicionando o trânsito em todas as vias rodoviárias com acesso ao autódromo.

Portugal estava de olhos postos em Miguel Oliveira, por isso foi necessário acautelar as regras necessárias — o que implicou patrulhas a cavalo nas imediações da pista, para evitar que as pessoas se fixassem em pontos altos com visibilidade para o circuito.

No fim da corrida, Miguel Oliveira reagiu ao resultado "É surreal. Sonhamos com este tipo de corridas. É incrível. Não tenho palavras", disse o piloto de Almada, expressando a sua "gratidão aos fãs em casa, à equipa Tech3", da qual se despede, seguindo na próxima época para a formação oficial da KTM.

"É o adeus, mas foi um grande dia. É extra especial, porque a minha família não teve oportunidade de ver ao vivo a minha primeira vitória e estão todos aqui. É muito bom acabar a época em alta", concluiu Miguel Oliveira, que hoje deixou o australiano Jack Miller (Ducati) na segunda posição, a 3,193 segundos, e o italiano Franco Morbidelli (Yamaha) em terceiro, a 3,298 segundos, somando a segunda vitória da temporada.

Ontem assinalou-se a primeira 'pole position' da carreira do piloto luso no MotoGP, com um tempo que marcou um novo recorde do Autódromo Internacional do Algarve. Hoje, Miguel Oliveira somou a sua segunda vitória na temporada. A primeira foi no Grande Prémio da Estíria, na Áustria — mas Portugal é sempre Portugal.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.