A entrega de Luis Manuel Díaz "deve ser hoje, não porque eles (os guerrilheiros) tenham anunciado, mas porque o último pretexto era esse, que havia uma mobilização militar que dificultava o processo" de libertação, disse Otty Patiño, negociador-chefe do governo com o Exército de Libertação Nacional (ELN), à rádio Blu nesta terça.

Na segunda-feira, o diretor do grupo antissequestros dos militares, o coronel Giovanni Montañez, afirmou que as forças envolvidas na busca do pai do jogador fariam “um reposicionamento para garantir a entrega”.

"Não há desculpa. Espera-se que a libertação ocorra hoje", enfatizou Patiño.

Guerrilheiros do ELN sequestraram os pais do jogador do Liverpool a 28 de outubro, enquanto estes viajavam. No mesmo dia, Cilenis Marulanda, mãe do jogador de futebol, foi libertada.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.