O pontífice disse que reza "por esta querida nação" e expressou a sua "proximidade às famílias que perderam os filhos em manifestações na rua".

"Faço um apelo para que se acabe com a violência e se encontre uma solução pacífica e democrática para a crise", adiantou o papa perante os fiéis reunidos na Praça de São Pedro, que assistiram à habitual oração do Angelus.

"Que Nossa Senhora de Coromoto interceda pela Venezuela!", concluiu o papa, que rezou uma ‘Avé Maria’ com as milhares de pessoas que o ouviam, ao aludir à padroeira do país das Caraíbas.

Em 08 de junho, o papa recebeu no Vaticano os membros da Direção da Conferência Episcopal da Venezuela (CEV), formada por seis bispos, depois destes lhe pedirem audiência para o informar sobre a situação do país.

O papa já instou em diferentes ocasiões à resolução da crise que vive a Venezuela.

Hoje não foi a primeira vez que o papa se referiu depois da oração do Angelus à situação na Venezuela. Já em 02 de abril fizera um apelo para se evitar "toda a violência" e defendeu a procura de "soluções políticas" no país.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.