O presidente chegou ao Arco do Triunfo depois de percorrer a Avenida Champs-Elysées, decorada para a ocasião com bandeiras francesas e cubanas.

Na cerimónia foram interpretados os respectivos hinos nacionais e o líder cubano depositou flores no túmulo do soldado desconhecido, ao lado da ministra do Ambiente e Energia, Ségolène Royal - número três do governo.

Perto do local era possível observar pequenos grupos de simpatizantes castristas. Após a cerimónia, Raúl Castro percorreu a Champs-Elysées escoltado pela Guarda Republicana francesa.

Castro, que chegou no sábado, vai reunir-se durante a tarde com o presidente François Hollande no Palácio do Eliseu, onde serão assinados vários acordos, um deles sobre a anulação de parte da dívida cubana com Paris.

O governo de Hollande acredita que este acordo permitirá aprofundar as relações com o país e aproveitar a progressiva abertura económica de Cuba.

Em virtude deste acordo, Cuba conseguiu o perdão de 8,5 mil milhões de dólares, o que deve desbloquear o seu acesso aos mercados financeiros, enquanto espera o fim do embargo norte-americano, imposto em 1962 e condenado há anos pela França.

Segundo uma fonte diplomática francesa, a questão dos direitos humanos em Cuba também estará na agenda das discussões bilaterais.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.