O voto, apresentado pelo Partido Ecologista "Os Verdes" (PEV), repudia o prolongamento do funcionamento da central além de 2020 e pede ao executivo que tome uma "posição perentória" para que as instalações, a 100 quilómetros da fronteira com Portugal, sejam encerradas.

O PEV recorda, no texto, que Portugal desistiu de uma queixa junto da Comissão Europeia, depois de ter assinado um acordo com Espanha quanto à reavaliação dos impactos fronteiriços do aterro temporário que vai ser construído em Almaraz.

Numa declaração política, na quinta-feira, Heloísa Apolónia, deputada do Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV), criticou o Governo na condução deste processo, dizendo que deveria ser claro a dizer a Espanha ser a favor do encerramento da central nuclear em Espanha.

Para a deputada dos Verdes, parece que o executivo português ficou “convencido com o estudo técnico” sobre a construção de um novo armazém de resíduos para a central de Almaraz, quando é claro que “há riscos, incluindo para a população portuguesa”.

E há um outro risco, alertou, de o novo armazém contribuir para o prolongamento do tempo de vida da central, além de 2020, ano em que chegou a estar previsto o seu encerramento.

No mesmo debate, o PSD defendeu que o tema de Almaraz deveria ser levado à cimeira ibérica, agendada para 29 e 30 de maio, em Vila Real.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.