O primeiro-ministro, António Costa, lembrou o que chamou de "magia em campo" do antigo futebolista Fernando Gomes.

"Recordaremos sempre a magia de Fernando Gomes em campo. Perdeu hoje, tristemente, a última batalha. As minhas sentidas condolências à sua família, ao FC Porto e a todos os admiradores do inesquecível 'Bibota'", pode ler-se numa publicação no Twitter.

Já o presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considerou que o antigo internacional “marcou o futebol português” e “foi determinante na afirmação” do país no estrangeiro.

“Fernando Gomes marcou o futebol português numa época de que me recordo bem, e os portugueses recordam-se bem, os mais jovens recordam-se menos, porque foi determinante na afirmação de Portugal fora das nossas fronteiras”, defendeu o chefe de Estado, que falava aos jornalistas depois de ter participado na cerimónia de Juramento de Hipócrates da região Sul, em Lisboa.

Marcelo Rebelo de Sousa apontou que Fernando Gomes, vencedor de duas Botas de Ouro e melhor marcador da história do FC Porto, “não só teve muito sucesso interno, mas levou o sucesso interno, através do seu clube e através da equipa portuguesa, ao estrangeiro”.

O presidente da República recordou o jogador de futebol como “um grande marcador de golos” e “um grande avançado”, que “foi à sua maneira um grande líder na sua equipa e nas equipas onde jogou, nomeadamente também na seleção nacional, porque era muito objetivo, muito determinado, muito rápido”.

“E nesse sentido nós estamos agradecidos, agora que nos deixa, pelas boas recordações que estão no nosso espírito, mais daqueles que eram do seu clube, mas em geral todos os portugueses”, salientou Marcelo Rebelo de Sousa.

Através do site da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), o presidente Fernando Gomes deixou uma nota de pesar.

"É com profunda tristeza que lamento o desaparecimento de Fernando Gomes, antigo futebolista internacional e referência incontornável do FC Porto. Gomes foi ao longo do seu trajeto de jogador sinónimo de elegância, classe e golos. Fez do golo o seu alimento sendo consagrado rei da europa por duas vezes, conquistando duas Botas de Ouro em 1983 e 1985 (...) Deixou-nos hoje, demasiado cedo, depois de ter enfrentado com coragem e grande dignidade a doença que acabaria por o vitimar. Deixa à sua família um legado de seriedade, honradez e determinação na forma como preencheu a sua vida."

 O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Pedro Proença, lamentou a morte do antigo avançado internacional português lembrando “o extraordinário jogador” e “cavalheiro”.

“Foi com profunda consternação que tomámos conhecimento da morte de Fernando Gomes, o Bibota de Ouro. Fernando Gomes foi uma figura maior do que o Futebol, um extraordinário jogador, mas, sobretudo, um cavalheiro que marcou a vida de quem privou com ele”, lembrou Pedro Proença, em mensagem divulgada na sua conta na rede social Facebook.

"Partiu uma lenda do futebol", escreveu a conta oficial das Seleções Nacionais de futebol na rede social Twitter.

A Liga de Portugal diz ainda que "o futebol português está de luto, mas a história ninguém apaga". "À família enlutada, aos adeptos em geral e aos do FC Porto em particular, a Liga Portugal endereça as mais sentidas condolências", acrescentam em comunicado enviado à imprensa.

João Paulo Correia, secretário de Estado da Juventude e do Desporto, lembra que Fernando Gomes "marcou gerações com os seus golos vibrantes e conquistas históricas".

"Nem quero acreditar. Os meus mais profundos pêsames para a familia. Até sempre amigo, líder, bibota, irmão. Descansa em paz", escreve Paulo Futre, colega do jogador no FC Porto.

"Marcar golos muitos têm a felicidade de marcar. Marcar no teu clube do coração, a felicidade é maior". O FC Porto lembrou um frase do jogador, numa partilha que é acompanhada de um vídeo de homenagem.

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, disse que a sua ligação ao antigo internacional Fernando Gomes começou muito antes do futebol, na admiração e respeito que tinha.

“Os nossos caminhos cruzaram-se muito antes do futebol. Desde cedo aprendi a apreciar o Fernando [Gomes] enquanto homem. Ao longo dos anos, mantivemos uma relação de muito respeito e admiração, acrescentando o futebol àquilo que nos unia”, escreveu o treinador dos ‘dragões’.

Também no Twitter, o antigo técnico portista, André Villas-Boas, manifestou "profunda tristeza". "Que descanses em paz querido Fernando. Os meus mais sinceros sentimentos aos seus familiares e a todos os portistas", escreveu.

O antigo futebolista Vítor Baía, vice-presidente e administrador da SAD do FC Porto, considerou ter perdido um irmão, com a morte hoje do antigo avançado Fernando Gomes, aos 66 anos.

“Partiu um irmão que o futebol me deu. Um Homem cheio de classe dentro e fora do campo. Um ídolo. O nosso eterno capitão. Uma lenda do futebol. Do nosso Porto. Serás eterno meu amigo. Obrigado por tanto!”, escreveu Vítor Baía, antigo guarda-redes dos ‘dragões’.

Baía, de 53 anos, que também foi capitão e símbolo no FC Porto, entrou no plantel dos ‘dragões’ ainda com Fernando Gomes, que se manteve no clube até 1988/89, enquanto o guarda-redes chegou à equipa principal nessa mesma época. Gomes fez o último jogo na equipa portista em janeiro de 1989, enquanto Baía entrou na equipa no mês seguinte.

Já o Sporting, onde jogou durante duas temporadas (1989/1990 e 1990/1991), em comunicado, "endereça as mais sentidas condolências, não deixando de enaltecer e agradecer os anos de dedicação e devoção ao clube".

Luís Montenegro, líder do PSD, partilha a sua "tristeza e pesar pela prematura partida de um desportista de eleição. Um exemplo de paixão clubistíca com fair play e uma referência para a minha geração".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.