Patrícia Mamona (Sporting), que defendia a medalha de prata conquistada em 2017, conseguiu a melhor marca na primeira das seis tentativas, ficando a um centímetro do recorde nacional, que a própria melhorou em fevereiro, seguindo-se dois nulos e ainda saltos de 14,29, 14,39 e 14,21.

Susana Costa melhorou a sua melhor marca pessoal ao igualar Mamona no segundo salto, depois de ter começado a final com um nulo.

Depois, a saltadora da Academia Fernanda Ribeiro não conseguiu melhor do que 14,21 na quinta tentativa, num concurso em que registou outro nulo e ainda 14,04 e 14,10.

A espanhola Ana Peleteiro conquistou o título europeu, ao saltar 14,73, estabelecendo o novo recorde de Espanha na especialidade, quer em pista coberta ou ao ar livre.

Os restantes lugares do pódio foram alcançados pela grega Paraskevi Papahrístou, com 14,50, e pela ucraniana Olha Saladukha, com 14,47.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.