Numa conferência de imprensa, o secretário-geral comunista, Jerónimo de Sousa, insistiu, pela quarta vez na última semana, no apelo ao Governo para que sejam pagos os salários a 100% aos pais que ficam em casa com os filhos, até aos 16 anos, devido ao encerramento das escolas, e que quem está em teletrabalho “também possa acionar esse mecanismo do apoio a filhos”.

A situação no país, em confinamento geral, disse, “exige que o Governo reconsidere a decisão anterior”, que impede um dos pais de pedir este apoio se o outro estiver em teletrabalho e já usufruir dele.

As crianças e jovens em risco, acrescentou, “tem sido fortemente prejudicados ao longo dos anos” e com o “ensino remoto” neste ano letivo, pelo que se exige ao executivo que “assuma sem preocupações economicistas a contratação de profissionais e dos meios” para ultrapassar as dificuldades.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.