"As nossas primeiras informações mostram que se trata de um suicida que se fez explodir no interior da mesquita", disse o responsável, que não quis ser identificado.

O atentado causou pelo menos 37 mortos e mais de 70 feridos, segundo um responsável hospitalar e testemunhas, noticiou a agência norte-americana Associated Press, atualizando um anterior balanço feito por um médico à AFP que dava conta de 32 mortos e 53 feridos.

Segundo a agência noticiosa espanhola EFE, o ataque ocorreu cerca das 13:00 locais (09:30 em Lisboa), quando centenas de fiéis estavam reunidos na mesquita Imã Bargah, o maior templo da minoria xiita na cidade de Kandahar.

O ataque ocorreu uma semana depois de um atentado suicida contra uma mesquita xiita em Kunduz (nordeste do Afeganistão), reivindicado pelo afiliado local do grupo extremista Estado Islâmico (EI), que matou 46 pessoas.

Murtaza, uma testemunha ocular contactada telefonicamente pela AP, disse que quatro bombistas suicida atacaram a mesquita em Kandahar. Dois detonaram os seus explosivos junto a um portão de segurança, permitindo que os outros dois entrassem no complexo e atacassem a multidão de fiéis.

Várias testemunhas falaram em várias explosões.

Os talibãs declararam-se "consternados", nas palavras do porta-voz do Ministério do Interior, Qari Sayed Khosti, que adiantou que decorre uma investigação.

Kandahar é a terra natal dos talibãs, que são assim desafiados no seu feudo tradicional.

Se o atentado for reivindicado pelo EI, será a primeira vez que o grupo 'jihadista' ataca em Kandahar.

[Atualizada às 15:37]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.