O arguido, que já foi presente a primeiro interrogatório judicial na terça-feira, terá que apresentar-se periodicamente junto das autoridades e está proibido de se aproximar da residência do ofendido, um homem de 33 anos, disse hoje a PJ, em nota de imprensa enviada à agência Lusa.

De acordo com fonte da PJ, os factos ocorreram em meados de agosto, na cidade de Coimbra, e surgiram na sequência de uma já "péssima relação de vizinhança".

O arguido é tido como "conflituoso e violento", com "histórico de conflitos físicos com vizinhos" e antecedentes criminais por crimes de desobediência, resistência às autoridades e injúrias.

No dia do alegado crime, houve uma "altercação com a vítima", sendo que o arguido acabou por utilizar a sua viatura para atropelar o vizinho.

"A vítima acabou por ser projetada para cima do capô, onde se agarrou durante cerca de 200 metros, enquanto o arguido fazia ziguezague com o carro para tentar que a vítima caísse. A vítima acabou por cair e o carro passou junto ao corpo do ofendido", afirmou a mesma fonte da PJ de Coimbra.

A vítima teve de ser assistida no hospital, mas, por sorte, não sofreu lesões graves, salientou.

A distância temporal entre o alegado crime e a detenção do arguido deve-se ao facto da necessidade de detetar e recolher "elementos de prova suficientes", sendo que, no início das diligências, não foi possível encontrar a viatura utilizada no crime, esclareceu.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.