Em comunicado, a PJ adianta o processo de deteção e remoção das 4,4 toneladas de droga foi difícil, uma vez que esta vinha disfarçada em várias caixas de bananas, que por sua vez se encontravam alojadas em paletes no interior de contentores marítimos.

A cocaína era proveniente do Equador, chegou a território nacional por via marítima, e tinha como destino final outros países europeus, que não vêm especificados.

No decurso desta operação não se realizou qualquer detenção em Portugal, contudo a PJ considera que foram recolhidas provas relevantes, tendo as informações sido partilhadas com as autoridades de outros países.

A “Operação Âncora”, desencadeada nos últimos meses, contou com o apoio da Autoridade Tributária e Aduaneira e insere-se no esforço de combate ao tráfico ilícito de cocaína, desenvolvido pela Polícia Judiciária em articulação com as autoridades estrangeiras.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.