O homem, que é suspeito de um crime de violação, "aproveitando a sua atividade de exorcista e explorando a fragilidade da vítima, especialmente vulnerável, constrangeu-a à prática de atos sexuais de relevo, após a ter colocado na impossibilidade de resistir", refere a PJ, em comunicado.

A vítima teve de ser conduzida a um estabelecimento hospitalar para receber cuidados de saúde, acrescenta.

Segundo a PJ, "o arguido, fazendo-se ainda passar por padre, desenvolvia a atividade de exorcista, amplamente divulgada, levando inúmeras pessoas em dificuldades várias a consultá-lo e auspiciando uma eventual ajuda da sua parte, cobrando honorários".

A PJ refere que, por estes factos, também está a ser investigada "a eventual prática do crime de burla qualificada".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.