A carga policial verificou-se depois de um grupo de manifestantes ter montado uma barricada com caixote de lixo.

Os manifestantes arremessaram garrafas e pedras contra a polícia, que investiu sobre um grupo cada vez mais pequeno comparativamente ao início da manifestação, na praça da Catalunha.

Os efetivos da polícia estão a tentar afastar os elementos dos Comités de Defesa da República (CDR), que tentaram infrutiferamente entrar na praça de Urquinaona, que na semana passada foi palco de confrontos entre agentes da autoridade e manifestantes pró-independência.

Milhares de manifestantes já tinham tentado em várias ocasiões ultrapassar o cordão formado por efetivos da polícia regional, ‘Mossos d’Esquadra’, e da polícia nacional.

Entoando gritos pela independência da Catalunha e pela libertação dos presos políticos, os manifestantes gritam igualmente insultos às autoridades.

A marcha dos CDR arrancou no centro de Barcelona com cânticos pela libertação dos presos políticas.

Ao contrário do que a polícia contava, a marcha que obrigou ao corte de ruas, saiu da praça da universidade onde se realizaram uma série de concertos musicais durante toda a tarde.

A marcha realiza-se no dia de reflexão eleitoral para as legislativas deste domingo.

Pelo menos oito carrinhas da polícia autonómica, os ‘Mossos d’Esquadra’, encontravam-se na praça de Urquinaona, que fica a um quarteirão da da Catalunha.

Um dos acessos à praça da Catalunha encontra-se condicionado pela polícia.

A marcha foi convocada paralelamente aos apelos da organizado “Tsunami Democrático”, que patrocinaram a série de concertos na praça da universidade.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.