A companhia de transportes ferroviários estatal da Hungria, a MAV, disse, entretanto, que a polícia não encontrou até agora quaisquer explosivos nos comboios inspecionados. No entanto, as vistorias vão prosseguir em todos os comboios que entrem na Hungria até à meia-noite (23:00 em Lisboa), pelo que poderá haver atrasos.

A MAV está a reembolsar os passageiros que desistam das viagens e está a remarcar novas viagens por causa dos atrasos.

A ameaça de bomba, anónima, surge no mesmo dia em que o primeiro-ministro, Viktor Orban, recebe o seu homólogo israelita, Benjamin Netanyahu. Também estão em Budapeste os primeiros-ministros da República Checa, da Polónia e da Eslováquia, na capital magiar para uma reunião do Grupo Visegrado.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.