O hotel Pischa decidiu deixar de alugar estes equipamentos aos clientes judeus, noticiou nesta segunda-feira o jornal 20minuten, que publicou a foto de uma placa afixada pelo estabelecimento, escrita em hebraico.

Não é a primeira vez que esse tipo de incidente ocorre nessa região da Suíça, muito popular entre turistas judeus ultraortodoxos. A polícia abriu uma investigação “por discriminação e incitação ao ódio”.

Os responsáveis pelo estabelecimento não responderam ao contato feito pela AFP e explicaram ao jornal que os clientes judeus costumavam deixar os equipamentos nas pistas, obrigando os funcionários a recolhê-los quando os encontravam.

Num vídeo divulgado pelo jornal Blick, o gerente Ruedi Pfiffner pede desculpas, nega tratar-se de antissemitismo e afirma estar “disposto a conversar com os afetados”.

A Federação Suíça de Comunidades Israelitas (FSCI) vai apresentar uma denúncia. O seu secretário-geral, Jonathan Kreutner, considerou a placa “inquestionavelmente discriminatória”.

A Fundação contra o Racismo e o Antissemitismo, com sede em Zurique, classificou o episódio como uma “discriminação antissemita grave”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.