A situação entre a polícia e os manifestantes intensificou-se esta manhã nos Campos Elísios, com centenas de “coletes amarelos” a descerem a famosa avenida da capital, apesar de o movimento ter sido proibido de aí se manifestar.

Os confrontos começaram a surgir quando alguns membros do movimento tentaram fugir pelas laterais das barricadas policiais.

O objetivo dos manifestantes é chegar ao Palácio do Eliseu, mas todas as entradas possíveis estão barricadas com redes e polícias de choque.

De modo a dispersar os “coletes amarelos”, a polícia atirou várias granadas de gás lacrimogéneo fazendo com que o ar à volta da residência oficial do Presidente se tornasse, se tornasse, durante minutos, irrespirável.

Os manifestantes estavam pelas 11:00 dispersos em várias ruas que dão acesso ao Palácio do Eliseu, sem sinais de abrandar com a sua demanda “Macron demissão” e cantando também o hino nacional.

Grande parte dos manifestante trouxeram máscaras antigás lacrimogéneo.

O Ministério do Interior tentou canalizar os manifestantes para o Champ de Mars, perto da Torre Eiffel, mas o movimento não acatou as ordens.

“Sabíamos que os Campos Elísios estavam interditos, mas eles também votam leis sem nos pedir autorização. Porque é que havíamos de aceitar o que eles nos dizem? Já parámos as estradas fora de Paris, agora vamos bloquear o Estado”, disse Bárbara, uma manifestante vinda de Ruão, em declarações à Lusa nos Campos Elísios.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.