Os procuradores turcos emitiram 20 mandados de detenção e 14 das pessoas visadas foram detidas. Hoje foram libertadas oito dos interpelados após terem prestado depoimentos perante a polícia, enquanto seis continuavam a ser interrogados, referiu a agência noticiosa DHA.

A DHA não precisou a identidades das pessoas libertadas.

A Sociedade Europeia de Matemáticas referiu, entretanto, que o seu vice-presidente Betül Tanbayp, professor de matemáticas da prestigiosa universidade do Bósforo se encontra entre as pessoas que saíram da prisão.

Segundo a cadeia televisiva NTV, também foi libertado Turgut Tarhanli, professor de Direito e especialista em direitos humanos na universidade provada Bilgi.

Os detidos estão associados a uma ONG presidida pelo empresário Osman Kavala, que permanece detido sem processo desde há um ano na sequência de um controverso inquérito por alegadas ligação ao fracassado golpe de Estado de julho de 2016.

Kavala é presidente da fundação Cultura Anatolia, destinada a ultrapassar as dificuldades na sociedade turca através da cultura e das artes.

Todos os suspeitos, incluindo as pessoas hoje libertadas, permanecem acusadas de terem “fomentado o caos e a desordem” e “procurado derrubar o governo” no decurso das manifestações antigovernamentais de 2013 desencadeadas por um movimento de protesto contra os projetos imobiliários no parque Gezi, no centro de Istambul.

As detenções suscitaram uma vaga de críticas na Europa e nos Estados Unidos.

A porta-voz do departamento de Estado norte-americano, Heather Nauert, sublinhou que os EUA estavam “muito preocupados” pelas detenções e apelaram às autoridades turcas para libertarem todos os interpelados.

A UE considerou as detenções “alarmantes”, considerando em comunicado que estas medidas “contrariam o compromisso declarado pelo Governo turco em termos de direitos humanos e liberdades fundamentais”.

Entre os detidos incluem-se responsáveis da fundação Cultura Anatólia, incluindo o seu vice-presidente Yigit Ekmekci, um membro da direção, Ali Hakan Altinay, uma conhecida figura da cena cultural e artística de Istambul, Asena Gunal, e os consultores Meltem Aslan e Cigdem Mater.

Kavala, que é muitas vezes comparado pelos media turcos pró-governamentais com o milionário norte-americano George Soros, foi detido em 18 de outubro de 2017. Acusado de tentativa de derrube da ordem constitucional, foi colocado em detenção preventiva em novembro de 2017 e ainda não foi formalmente acusado.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.