A presidente do IPS, Ângela Lemos, afirma, citada no comunicado, que a execução dos três projetos permite “reforçar a oferta de alojamento estudantil com 182 novas camas”, proporcionar uma “melhor qualidade de vida aos estudantes deslocados” e garantir “alojamento temporário a alguns investigadores e docentes em mobilidade”.

De acordo com a nota, as candidaturas para estas obras, “apresentadas no âmbito do Plano Nacional para o Alojamento no Ensino Superior (PNAES), foram recentemente aprovadas e homologadas pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, obtendo assim financiamento do Programa de Recuperação e Resiliência (PRR), num montante de cerca de nove milhões de euros”.

O documento adianta que as obras de ampliação e renovação da Residência de Estudantes de Santiago, em Setúbal, com conclusão prevista até fevereiro de 2025, vão dotar aquele equipamento com mais 85 camas, perfazendo um total de 379 vagas de alojamento.

O IPS refere também que vai construir uma nova residência com capacidade para 50 camas, no Barreiro, onde está instalada uma das suas escolas superiores de Tecnologia (EST Barreiro/IPS).

Em Sines, o IPS tem igualmente prevista a construção de uma residência que permitirá disponibilizar um total de 45 vagas de alojamento para alunos da futura Escola Superior do Alentejo Litoral.

Os novos equipamentos do Barreiro e de Sines, ambos no distrito de Setúbal, serão construídos em terrenos cedidos pelos dois municípios, prevendo-se que comecem a ser ocupados a partir de dezembro de 2023.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.