Questionado pela deputada do PAN Bebiana Cunha, esta segunda-feira durante a sessão extraordinária da Assembleia Municipal do Porto dedicada ao tema da mobilidade, sobre o "ponto de situação" da empreitada "Ligações Mecanizadas - Miragaia, Palácio de Cristal e Virtudes", Rui Moreira avançou que em Miragaia, a obra, autorizada pela Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN), deverá estar a "funcionar" em março.

"A obra de Miragaia, já agora, foi autorizada pela DRCN ao contrário do que se poderá ter dito, está prevista para março. Em março esses primeiros meios suaves estão a funcionar", garantiu o independente.

Rui Moreira acrescentou ainda esperar "ter muito brevemente" o projeto do Palácio de Cristal, que está em "finalização" e que prevê a instalação de um elevador para fazer a ligação da Rua da Restauração ao palácio.

Quanto à terceira "grande opção", nas Virtudes, o autarca adiantou que o projeto "teve um parecer desfavorável da Direção-Geral do Património Cultural (DGPC)", estando neste momento a ser "reanalisado".

Na reunião camarária de 25 de julho de 2017, a proposta vencedora do concurso lançado em março pela autarquia tinha como objetivo instalar dois elevadores nas zonas do Palácio de Cristal e das Virtudes para ligar as cotas alta e baixa do Porto.

Um dos elevadores da proposta vencedora do concurso público vai ligar os jardins do Palácio de Cristal à Rua da Restauração, com uma paragem intermédia, e o outro vai unir a zona dos armazéns em Miragaia à fonte do Jardim das Virtudes.

Já em maio de 2019, a autarquia anunciou o arranque das obras para as ligações mecanizadas em Miragaia, adiantando que a intervenção ia decorrer em três núcleos: Escadas das Sereias, Escadas do Monte dos Judeus e área adjacente e zona circundante às Ruas de Cidral de Cima e de Cidral de Baixo.

A empreitada representa um investimento municipal de mais de 677 mil euros.

"Os trabalhos visam, de uma forma geral, a reformulação e o redesenho das cotas e dos degraus das zonas intervencionadas, através da introdução de escadas mecanizadas, da inserção de novos elementos como rampas, da reconversão paisagística e da limpeza, tratamento e recuperação de pavimentos e das estruturas existentes", adiantou, à época, o município.

A empreitada, que está a cargo da empresa Atlantinível, vencedora do respetivo concurso público, enquadra-se "numa estratégia geral de desenvolvimento de uma rede interligada de percursos pedonais assistidos por meios mecanizados numa das zonas com orografia mais difícil do centro do Porto".

Um estudo encomendado pela Câmara do Porto em 2015 identificou na zona de Miragaia uma população envelhecida e com dificuldades de acesso ao Hospital de Santo António, bem como a outros equipamentos existentes na cota alta, um problema que, sublinhava o município, "será resolvido por esta via", e a que acresce o interesse turístico que potencia.

O primeiro concurso que estipulava o valor base de 549 mil euros para as ligações mecanizadas de Miragaia foi lançado em setembro de 2018, mas ficou deserto.

Já em janeiro de 2019, a Go Porto, responsável pela gestão da empreitada, revelou ter lançado um segundo concurso para os "percursos pedonais/ligações mecanizadas" de Miragaia, aumentando em 251 mil euros o valor base da obra e em três meses a sua execução.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.