“Porque ganhámos a eleição para o conselho executivo da UNESCO, faz agora sentido reabrir a missão permanente de Portugal na UNESCO, que tinha sido fechada durante o programa de ajustamento”, disse Augusto Santos Silva, durante a audição parlamentar sobre a proposta de lei do Orçamento do Estado para 2018 na área da política externa.

“As nossas responsabilidades na organização são agora maiores, a necessidade que a organização tem da voz e do papel de países como Portugal é também maior”, considerou.

O Governo “já iniciou o processo que conduzirá à reabertura da missão permanente na UNESCO” para voltar a existir “um embaixador de Portugal para a UNESCO”, uma função que tem sido exercida cumulativamente pelo embaixador bilateral em Paris, adiantou o governante.

Portugal foi eleito na semana passada para o Conselho Executivo da UNESCO, mandato que irá prolongar-se até 2021, sendo a quarta vez que o país integra este órgão.

Uma eleição que Santos Silva considerou "um êxito".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.