O anúncio de que uma das praias mais famosas do Brasil vai abrigar este projeto-piloto foi feito pelo prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella.

“Tem duas maneiras de ir à praia, uma é por ordem de chegada. Quem chegar primeiro, ocupa o quadrado. A outra é fazer reserva no aplicativo”, explicou Crivella, numa transmissão ao vivo na rede social Facebook na noite de segunda-feira.

O autarca já tinha anunciado o projeto cujo objetivo é evitar que este locais se tornem focos de transmissão do novo coronavírus.

Para tanto, a prefeitura do Rio de Janeiro informou que pretende desenhar quadrantes na areia de Copacabana usando fitas de marcação para evitar aglomerações. Este projeto-piloto será testado durante os dias da semana, de segunda-feira até sexta-feira.

Em cada quadrante poderão ficar grupos de até quatro pessoas.

No Rio de Janeiro já eram permitidos, há cerca de duas semanas, banhos no mar e atividades desportivas nas praias – com recurso ao uso de máscaras -, mas não era permitido permanecer no areal para desfrutar da paisagem ou apanhar sol.

Contudo, tem ficado evidente a indisciplina dos ‘cariocas’, cuja presença é cada vez mais frequente nas praias de Copacabana e Ipanema e também nas da Barra de Tijuca, na zona oeste da cidade, e a prefeitura de câmara resolveu tentar organizar a permanência dos banhistas nas praias.

O Brasil é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, ao contabilizar o segundo número de infetados e de mortos (mais de 3 milhões de casos e 101.752 óbitos), depois dos Estados Unidos da América.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.