Por estes dias, nas montras e nas prateleiras das lojas do Reino Unido, em grande destaque, surgem canecas, copos, portas-chaves, colheres, compota, postais, peluches, canetas, cervejas, preservativos, entre outros artigos, com a imagem do casal. Algo que não é novo e já aconteceu com outros casamentos reais, nomeadamente o do príncipe William com Kate Middleton, em 2011, ou até no nascimento dos bebés reais.

O negócio das lembranças faz as delícias não só dos britânicos, mas também dos turistas. A Bloomberg chama-lhe "uma máquina de fazer dinheiro", que por vezes testa o bom gosto e os limites da monarquia.

A publicação, que cita números do Center for Retail Research, estima que o casamento possa trazer às lojas britânicas um acréscimo extraordinário de 120 milhões de libras (cerca de 137 milhões de euros), que inclui não só os gastos com memorabilia mas também celebrações nas ruas, jornais e réplicas de peças usadas pelo casal e convidados.

Mas há um preço a pagar. Enquanto um casamento do britânico médio ronda as 24 mil libras (27 mil euros), o de Meghan e Harry custará cerca de 32 milhões de libras (36,5 milhões de euros).

Sempre que há eventos de relevo na família real discute-se quando custa aos britânicos manter esta casa. Contas feitas pela Brand Finance e publicadas num relatório de novembro de 2017 mostram que o valor da monarquia britânica ascende aos 67,5 mil milhões de libras (cerca de 77 mil milhões de euros), a sua contribuição anual para a economia britânica é de 1.766 milhões de libras (cerca de 1.942 milhões de euros) e os custo anual é de 292 milhões de libras (333 milhões de euros) — 4,5o libras por ano a cada britânico (cerca de 5 euros).

Este estudo da consultora Brand Finance refere ainda que em 2016 — sem casamento real — mais de 2,7 milhões de turistas visitaram o Palácio de Buckingham, o Castelo de Windsor e outras atrações reais. Segundo as suas estimativas, o valor arrecadado em turismo real ascende a 550 milhões de libras/ano (628 milhões de euros).

Só o casamento de Meghan Markle e Harry deverá atrair mais de 100 mil turistas, antevê a polícia. E, a título de exemplo, as reservas em hotéis aumentaram 30% em termos homólogos depois do Duque e da Duquesa de Cambridge terem ficado na ilha de Anglesey onde o príncipe William esteve a cumprir serviço militar — os tais efeitos indiretos da real vivência.

O casório

O príncipe Harry, sexto na linha de sucessão à coroa britânica, e a atriz norte-americana de 36 anos, que ficou conhecida por participar na série televisiva "Suits", comprometeram-se oficialmente a 27 de novembro, após comunicarem a decisão à rainha Isabel II.

Este será o segundo casamento de Megan Markle, que foi casada entre 2011 e 2013 com o produtor de cinema Trevor Engleson.

O duque de Cambridge vai ser o padrinho de casamento do irmão, o príncipe Harry.

A cerimónia terá lugar na Capela de São Jorge, no Castelo de Windsor, no próximo dia 19.

Após o casamento, a norte-americana adotará o título de Sua Alteza Real e é esperado que a rainha conceda ao neto um título de nobreza, que será partilhado com a sua futura esposa.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.