“Rapidamente atrairemos investimentos iniciais em torno de 7.000 milhões de reais, com concessões de ferrovia, 12 aeroportos e 4 terminais portuários. Com a confiança do investidor sob condições favoráveis à população resgataremos o desenvolvimento inicial da infraestrutura do Brasil”, escreveu Bolsonaro na rede social Twitter.

A transferência dos investimentos em infraestrutura para o setor privado, que Bolsonaro pretende incluir no seu primeiro programa de concessão, começou a ser analisada pelo Governo do ex-Presidente Michel Temer, que já havia desenvolvido estudos para estes projetos.

As concessões serão analisadas numa reunião com 22 ministros que Bolsonaro convocou para esta quinta-feira.

Segundo informações do Palácio do Planalto, essa reunião foi convocada para analisar os planos que o Governo anunciará nos seus primeiros dias.

O assunto já foi abordado pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, que, no seu discurso de posse, na última quarta-feira, disse que vai tomar medidas para desbloquear investimentos no setor.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, também comentou no seu primeiro discurso no cargo, que as privatizações e concessões serão um dos “pilares” do programa económico liberal que pretende implementar.

Paulo Guedes, que recebeu apoio total de Bolsonaro para comandar a economia brasileira, é um defensor da redução do tamanho do Estado e de um ajuste fiscal severo pautado na contenção de gastos e privatização de todas as empresas que não são essenciais para o setor público.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.