De acordo com AFP, os três primeiros ministros anunciados — Sabri Boukadoum para os Negócios Estrangeiros, Kamel Beldjoud para o Interior e Belkacem Zeghamti para a Justiça — pertenciam ao executivo anterior de Noureddine Bedoui, que tinha sido nomeado em março por Abdelaziz Bouteflika, alguns dias antes de renunciar ao cargo devido à pressão ao movimento de contestação “Hirak”.

Abdelmadjid Tebboune, antigo ministro e chefe de governo do presidente Abdelaziz Bouteflika, foi eleito em 12 de dezembro de 2019, à primeira volta, para suceder ao antigo chefe de Estado na liderança da Argélia.

O novo Presidente argelino foi eleito num escrutínio que registou uma taxa de abstenção superior a 60%.

Tebboune sugeriu ao movimento de contestação “Hirak” um “diálogo para construir uma nova Argélia”, o que tem sido recusado pelos manifestantes.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.