“Este é um momento da História. Presidente Trump, ao reconhecer aquilo que pertence à História, você escreveu a História”, disse Netanyahu na cerimónia de inauguração da missão diplomática.

O primeiro-ministro disse que Jerusalém será sempre a “eterna, indivisa” capital de Israel e considerou que hoje é um “dia glorioso”.

Agradecendo a Trump a coragem de manter a promessa eleitoral de transferir a missão diplomática para Jerusalém, assim reconhecendo a cidade como capital de Israel, Netanyahu afirmou que as relações com os EUA nunca foram tão fortes.

Acrescentou que a paz no Médio Oriente deve fundar-se no que disse ser “a verdade” reconhecida por Washington.

“A verdade é que Jerusalém sempre foi e sempre será a capital do povo judeu, a capital do Estado judeu”, afirmou.

Os EUA inauguraram hoje a embaixada dos Estados Unidos em Jerusalém.

A transferência da embaixada de Telavive para Jerusalém foi uma das promessas chave de Trump durante a campanha para as presidenciais em 2016 e foi saudada por Israel.

No entanto, a decisão motivou uma forte reação dos palestinianos, que reivindicam Jerusalém Oriental como a capital do seu futuro Estado e consideraram que a decisão afasta os Estados Unidos da sua função de mediador para um acordo de paz no Médio Oriente.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.