Esta posição de Ana Catarina Mendes consta de “uma nota de esclarecimento” enviada à agência Lusa, depois de o presidente do Grupo Parlamentar do PSD, Adão Silva, ter escrito uma carta ao presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, contestando o processo de elaboração de uma lista de 50 deputados prioritários para a vacinação contra a covid-19.

“Sabe-se agora que também o Grupo Parlamentar do PS discorda da lista enviada”, escreveu Adão Silva nessa carta que dirigiu a Ferro Rodrigues, na qual pede a anulação dessa lista de 50 deputados prioritários para vacinação que foi enviada na sexta-feira ao primeiro-ministro, António Costa.

Na nota de esclarecimento, Ana Catarina Mendes frisa que “o líder parlamentar do PSD não está autorizado a falar pelo Grupo Parlamentar do PS”.

Depois, a líder da bancada socialista refere que, na semana passada, o presidente da Assembleia da República “pediu um voto de confiança a todos os grupos parlamentares na conferência de líderes e todos o deram”.

“O Grupo Parlamentar do PS aceitou os critérios de funcionamento do parlamento e apenas priorizou os deputados a vacinar nesta primeira fase dentro dos critérios do presidente da Assembleia da República”, acrescenta Ana Catarina Mendes na mesma nota.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.