"Não vamos aprovar nenhuma das iniciativas que visam encetar a eliminação total das propinas", anunciou o deputado socialista Porfírio Silva, ao intervir no debate, marcado pelo Bloco de Esquerda.

O PS juntou-se assim ao PSD e ao CDS para “chumbar”, na Assembleia da República, oito projetos de lei do PCP, BE e PEV.

Na maioria dos diplomas, votaram a favor as bancadas do PCP, BE, PEV e três deputados do PS e da JS, Ivan Gonçalves, Diogo Leão e Hugo Carvalho.

Em algumas das votações o deputado não inscrito Paulo Trigo Pereira, eleito como independente pelo PS, também votou contra e noutros optou pela abstenção.

Dos 15 projetos de lei e de resolução, a bancada do partido do Governo, o PS, apenas votou a favor e contribuiu para a aprovação, na generalidade, de três diplomas - dois do PCP e um do partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN).

Os projetos do PCP aprovados preveem um plano extraordinário de alojamento temporário para estudantes no ensino superior público e o segundo determina como única consequência pelo não pagamento de propinas o não reconhecimento do ato académico.

O projeto do PAN altera uma lei de 2003, em que estabelece mecanismos de regularização de dívida por não pagamento de propinas no ensino superior público.

Foram aprovados três projetos de resolução, que não têm força de lei e são recomendações, no caso ao Governo, do Bloco de Esquerda.

Mesmo sendo um projeto de resolução, o projeto do PEV pela progressiva gratuitidade do ensino superior público também foi chumbado com os votos contra do PSD, PS, CDS e de Paulo Trigo Pereira.

(Notícia atualizada às 13h50)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.