"É incompreensível para o PSD que a CP esteja neste estado e o PS, como partido que suporta o Governo, deverá ponderar e pensar como vai resolver o problema futuro da CP. Agora, também achamos incompreensível que a CP sobreponha a outros serviços este serviço especial. Não compreendemos que os portugueses possam vir a ser prejudicados por este serviço especial do PS", disse, em declarações aos jornalistas no parlamento.

Na quinta-feira, o jornal Observador noticiou que a CP “aceita os atrasos resultantes a outros comboios” para que circulem comboios fretados para a Festa de Verão do PS.

Aquele jornal online acrescentava que os comboios que vão levar militantes socialistas desde o sul do país até à festa da rentrée socialista, em Caminha, são prioritários e, se for necessário, podem atrasar o serviço regular da CP pelas zonas em que passa.

O percurso de ida e volta, dizia o Observador, é Santa Apolónia-Pinhal Novo-Caminha.

"Isto é uma decisão da administração [da CP], que fez um frete ao PS", acusou Carlos Silva, lamentando a situação problemática dos serviços de transporte da CP e suas consequências para os utentes em geral, uma vez que deverão registar-se atrasos noutras ligações.

Esta manhã, questionado pelos jornalistas durante uma visita aos Passadiços do Paiva, em Arouca, distrito de Aveiro, realizada enquanto primeiro-ministro, o líder socialista, António Costa, disse que “um comboio fretado é um serviço prestado a qualquer cliente”.

O secretário nacional para a organização do PS, Luís Patrão, já tinha dito que este procedimento é usual, adiantando que os custos são de "cerca de 13 mil euros".

Confrontado com o facto de a maior parte das medidas de cortes e contenção de despesa, quer em meios humanos, quer em meios materiais, terem sido adotadas pelo anterior Governo, PSD/CDS-PP, o parlamentar social-democrata contrapôs que o atual executivo já teve tempo para resolver o assunto.

"O anterior Governo governou em condições muito excecionais. Quero-lhe dizer que o investimento público que é feito agora na CP é menor do que no tempo da ‘troika’, em que o Governo tinha sérias restrições. Aquilo que foi investido no primeiro semestre deste ano pela CP representa 10% da verba disponível", afirmou.

Para Carlos Silva "os problemas são de agora".

"O que sentimos é que se agravaram nos últimos tempos. Este Governo está a governar há três anos, já teve mais que tempo para tomar as medidas necessárias para que isto não acontecesse. O problema do ar condicionado não é com certeza de 2014. A falta de papel nas casas de banho dos comboios não é um problema de 2015 ou de 2013, é um problema de agora", concluiu.

Na quinta-feira, o CDS-PP já tinha falado sobre os comboios que o PS vai fretar para transportar os militantes para Caminha, a propósito da situação de “caos e colapso de serviços públicos” que se está a verificar, nomeadamente na ferrovia e urgências hospitalares

"Constatámos que o PS vai ter brevemente a sua ‘Festa de Verão' e utilizará um ‘comboio especial’. É normal e natural que quem tem comboios especiais, não sei se com ‘catering’ ou sem, provavelmente, com ar condicionado, não esteja preocupado com a situação dos portugueses, que é de comboios que não existem, não funcionam em condições e, muitos deles, foram suprimidos", disse o vice-presidente da bancada parlamentar do CDS-PP Telmo Correia.

O discurso do líder socialista na "Festa de Verão" está marcado para as 17:00, depois da intervenção do presidente da Federação do PS de Viana do Castelo e autarca de Caminha, Miguel Alves. Antes, António Costa terá um almoço com mulheres socialistas.

Costa diz que é "serviço comercial normal"

Questionado pelos jornalistas durante uma visita aos Passadiços do Paiva, em Arouca, distrito de Aveiro, realizada enquanto primeiro-ministro, António Costa notou que “um comboio fretado é um serviço prestado a qualquer cliente”.

António Costa acabaria por não responder completamente à questão, que confrontava o líder do PS com uma notícia do Observador, segundo a qual a CP “aceita os atrasos resultantes a outros comboios” para que circulem comboios fretados para a Festa de Verão do PS.

Aquele jornal online acrescenta que os comboios que vão levar vários militantes socialistas desde o sul do país até à festa da rentrée socialista, em Caminha, são prioritários e, se for necessário, podem atrasar o serviço regular da CP pelas zonas em que passa.

O percurso de ida e volta, diz o Observador, é Santa Apolónia-Pinhal Novo-Caminha.

O secretário-geral do PS regressa, no sábado, ‘à estrada’ depois da pausa de verão, com uma “festa” no Alto Minho, a ‘rentrée’ dos socialistas.

O discurso do líder socialista e primeiro-ministro está marcado para as 17:00, depois da intervenção do presidente da Federação do PS de Viana do Castelo e autarca de Caminha, Miguel Alves.

Antes da “Festa de Verão”, que terá as tradicionais tasquinhas e a música do Grupo de Bombos de Gondar, Grupo de Gaiteiros de Rio Mouro, Grupo de Baile Tradicional de Castro Laboreiro, Grupo Folclórico das Lavradeiras de Orbacém e Rusga dos Amigos de Sá, o secretário-geral do PS terá um almoço com mulheres socialistas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.