Num comunicado intitulado “Eduardo Cabrita não sabe falar verdade”, o PSD repudia as declarações feitas pelo ministro da Administração Interna no domingo, em Viseu, durante o congresso da Associação Nacional das Freguesias (Anafre).

“O ministro acusa o anterior Governo de ter considerado ‘prioridade negativa’ o investimento em estradas. Trata-se de uma acusação falsa. O senhor ministro sabe, como todos sabemos, que se alguém considerou o investimento em estradas como prioridade negativa para o período 2014-2020 foi a Comissão Europeia”, sublinha.

Segundo a estrutura partidária, num encontro com jornalistas portugueses, realizado em 2014, “contra a vontade e proposta do anterior Governo”, o porta-voz da Comissão Europeia Sherin Wheeler disse que “os fundos comunitários não iriam pagar nem mais um quilómetro de estradas em Portugal”.

“Uma vez mais se prova do que este Governo é capaz. Perante a incapacidade de resolver problemas, limita-se a ‘passar culpas’ para o anterior Governo, evidenciando, a todo custo, que as reais prioridades deste Governo passam pelas eleições de 2019. Nem que para isso tenham que continuar a morrer pessoas no IP3”, lamenta.

Além de um “pedido de desculpas público aos portugueses por ter faltado à verdade”, o PSD exige a Eduardo Cabrita que explique “a razão pela qual o atual Governo cancelou a construção da Via dos Duques – solução viável, deixada em curso pelo anterior Governo para resolver a ligação em autoestrada entre Viseu e Coimbra”.

“O atual Governo, em março de 2016, cancelou o concurso para elaboração do estudo prévio da Via dos Duques. Afinal, de quem é a culpa, senhor ministro? Quem é que não estabeleceu como prioridade o investimento nas estradas?”, questiona.

Uma vez que “não há fundos comunitários disponíveis" e que "o investimento público é o mais baixo dos últimos 50 anos”, o PSD quer saber “como pretende o Governo realizar este investimento”.

No domingo, Eduardo Cabrita admitiu que é “uma grande prioridade” resolver o problema do IP3, depois de questionado pelos jornalistas sobre as críticas feitas pelo presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques (PSD).

“Houve um Governo anterior que disse em Bruxelas que as prioridades não eram estradas e tinham mesmo a prioridade negativa. Eu não fiz parte desse Governo”, frisou.

Por isso, Eduardo Cabrita considerou “muito estranho que quem foi desse Governo hoje venha dizer que a principal prioridade é uma estrada”, numa alusão ao cargo de secretário de Estado adjunto da Economia e Desenvolvimento Regional de Passos Coelho que Almeida Henriques ocupou.

O ministro garantiu que o IP3 é uma prioridade para o seu governo, “apesar da má negociação do Portugal 2020”.

“Estamos a fazer melhor e diferente, com mais participação na negociação do Portugal 2030. É isso que estamos já hoje a fazer, a ouvir todos, a ouvir também as autarquias locais”, acrescentou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.