Os deputados sociais-democratas fazem este pedido de audição do presidente do regulador da aviação civil, Luís ribeiro, após esta semana ter havido dois incidentes envolvendo ‘drones’ e aviões comerciais, por considerarem que é “relevante conhecer os factos e proceder a uma avaliação das condições de segurança” do setor.

Esta sexta-feira, um avião da Aero Vip, do Grupo Seven Air, foi obrigado a realizar uma manobra para evitar a colisão com um ‘drone’ a 300 metros de altitude quando estava em aproximação para aterrar no Aeródromo de Cascais.

Já na quarta-feira à noite, um avião da TAP, com cerca de 130 passageiros, cruzou-se com um ‘drone’ a 700 metros de altitude, quando se preparava para aterrar no Aeroporto de Lisboa.

O Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF) anunciou hoje a realização de um estudo de segurança devido aos recentes incidentes envolvendo a presença de ‘drones’ nas trajetórias de aviões.

Desde o início do ano, o GPIAAF tem a informação de oito incidentes deste tipo.

O regulamento da Autoridade Nacional de Aviação Civil proíbe o voo destes aparelhos a mais de 120 metros de altura e nas áreas de aproximação e descolagem de um aeroporto.

O vulgarmente chamado ‘drone’ é um aparelho não tripulados de comando remoto.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.