Às 15:10 a página internet da Proteção Civil indicava que as chamas, que lavram desde as 11:23, estavam a ser combatidas por 276 operacionais, 89 viaturas e cinco meios aéreos.

Em declarações à agência Lusa, o oficial às operações da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), Miguel Oliveira, referiu que o incêndio continua com duas frentes ativas, acrescentando que a estratégia de combate vai “depender do comportamento das chamas nas próximas horas”.

Este responsável reiterou que, neste momento, não “é preocupação” nem se coloca a hipótese de evacuar aldeias, sublinhando que o fogo lavra apenas numa zona de mato e de eucaliptal, admitindo que as chamas já possam ter chegado ao distrito vizinho de Beja.

Miguel Oliveira disse ainda que é provável que continue a haver o reforço do dispositivo no terreno, com grupos de combate de vários distritos do país.

Manuel Cordeiro, adjunto de operações da ANPC, explicou à Lusa, pelas 15:10, que uma das frentes ativas, virada a sul, de um quilómetro, consome uma área de eucaliptal “de difícil acesso, aumentando de intensidade em vários pontos”.

A outra frente ativa, virada a oeste, “tem um quilómetro de meio e lavra numa zona de mato e de eucaliptos”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.