Durante o debate semanal na Câmara dos Comuns, Johnson disse ser necessário “garantir que não haja retrocessos nas sanções” por parte dos “amigos e parceiros em todo o mundo” do Reino Unido.

“Na realidade, precisamos agora de aumentar a pressão económica sobre (o Presidente russo) Vladimir Putin. E é certamente inconcebível que quaisquer sanções possam ser levantadas simplesmente porque há um cessar-fogo”, declarou.

Na terça-feira, o Governo russo anunciou que ia “reduzir drasticamente” as operações militares nas zonas de Kiev e Chernigiv, na sequência de “conversações construtivas” com a Ucrânia, na cidade turca de Istambul.

Porém, Johnson manifestou no mesmo dia ceticismo numa conversa telefónica com os presidentes dos Estados Unidos e França e os primeiros-ministros da Alemanha e Itália, afirmando que Moscovo deve ser julgado “pelas suas ações e não palavras”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.