"Nós assistimos a uma degradação brutal dos serviços públicos em Portugal. Eu diria que o Partido Socialista nas duas últimas governações falhou francamente. Sócrates falhou nas finanças públicas e António Costa falhou nos serviços públicos", salientou Rui Rio.

O líder do PSD falava no Porto, círculo em que concorre como número dois nas eleições legislativas de 06 de outubro, na apresentação formal do programa do partido.

Rui Rio considera que "nunca houve uma degradação tão acentuada dos serviços públicos", ainda que os serviços públicos estejam melhor que "há 40, 50 ou há 100 anos atrás".

“(…) Entre 2015 e 2019, nestes quatros anos, houve uma degradação como antes nunca tinha havido, em quatro anos", apontou.

Esta degradação reflete-se, particularmente, na saúde, nomeadamente nas listas de espera, na falta de médicos de família, de investimento e de manutenção, continuou.

"Ou seja, aqueles que mais defendem o Serviço Nacional de Saúde e que dizem que são os pais do Serviço Nacional de Saúde, que o criaram e que cumprem a Constituição, não cumprem a Constituição. Esse é que é o problema", notou.

O líder do maior partido da oposição lembrou que a Constituição diz que a saúde tem de ser de acesso a todos e tendencialmente gratuita, acesso universal esse que não existe.

"É por isso que há em Portugal 2,7 milhões de apólices de seguro (…), justamente porque não há acesso, porque senão as pessoas não precisavam de ter seguro de saúde para nada", disse, sublinhando que o primeiro objetivo do PSD para a área da saúde é "cumprir a Constituição da República Portuguesa".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.