1. Plantar árvores pode ajudar o planeta ou fazer pior

Em nome do combate às mudanças climáticas, mil milhões de árvores já foram plantadas em dezenas de países. Uma árvore plantada por cada t-shirt ou garrafa de vinho comprada ou árvores plantadas por países para cumprir compromissos globais e por empresas para reforçar os planos de sustentabilidade.

Planeta A

Uma volta ao mundo centrada nos temas que marcam.

Todas as semanas, selecionamos os principais trabalhos associados à rede Covering Climate Now, que o SAPO24 integra desde 2019, e que une centenas de órgãos de comunicação social comprometidos em trazer mais e melhor jornalismo sobre aquele que se configura como um tema determinante não apenas no presente, mas para o futuro de todos nós: as alterações climáticas ou, colocando de outra forma, a emergência climática.

Feito corretamente, a reflorestação pode beneficiar o clima e os ecossistemas, mas plantar as árvores erradas no lugar errado é fazer exatamente o oposto. Não basta só plantar árvores. É preciso perceber que espécies são precisas na área e que impacto vão ter no ecossistema. 

Empresas e países estão a investir cada vez mais em cobrir grandes áreas com espécies comerciais não nativas, que absorvem carbono, mas fornecem pouco apoio para o meio em que prosperam.

“No fundo, está a ser criada uma paisagem estéril”, diz Paul Smith, que administra o Botanic Gardens Conservation International, um grupo que trabalha para evitar a extinção de plantas. “Se as pessoas querem plantar árvores, vamos também torná-las algo positivo para a biodiversidade”.

Para ler na íntegra em The New York Times

  1. Guerra na Ucrânia aumenta pressão no sistema alimentar global já em crise

A Ucrânia e a Rússia são grandes exportadores de trigo, milho e cevada, dos quais grande parte do mundo depende para produzir alimentos. 

A invasão da Ucrânia pela Rússia está a levar a um aumento no preço dos cereais e outros produtos alimentares, aumentando a pressão num sistema alimentar global, que já está a sofrer os efeitos da seca causada pelas alterações climáticas globais. Nos últimos dias, os preços do trigo, milho e soja ultrapassaram os valores de 2008.

Para ler na íntegra em The Guardian

  1. Shell é processada por não cumprir com esforços climáticos

Os diretores da Shell estão a ser processados por não terem preparado a empresa para uma transição energética para uma energia mais limpa e com emissões zero. 

O processo, levado a cabo pelo escritório de advocacia ClientEarth, uma acionista da Shell, alega que os 13 diretores são pessoalmente responsáveis pelo fracasso por não terem desenvolvido uma estratégia corporativa com os ideais do acordo de Paris e, além disso, consideram ser uma violação dos deveres da empresa de acordo com a lei inglesa.

Para ler na íntegra em CNBC 

Por cá: APA diz que é preciso apostar na eficiência e poupança de água

O vice-presidente da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) defendeu esta quarta-feira que é necessário apostar cada vez mais na eficiência e poupança de água, através de sistemas mais eficientes e com a reutilização de águas para usos não potáveis.

“Devemos apostar na reutilização de águas das ETAR [estações de tratamento de águas residuais] para usos não potáveis. Não faz sentido nenhum usarmos a água que bebemos para lavar o caixote do lixo ou para regar um jardim público: devemos apostar nas origens alternativas”, apontou.

Para ler na íntegra em SAPO24

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.