“Desde 15 de março de 2011 foram mortas 353.935 pessoas”, indicou o OSDH, que dispõe de uma vasta rede de informadores em toda a Síria.

Entre as vítimas mortais encontram-se 106.390 civis, incluindo 19.811 crianças, precisou.

Cada vez mais crianças morrem na guerra na Síria, lamentou hoje o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), sublinhando que o número de crianças mortas duplicou em 2017 em relação ao ano anterior.

“Em 2017, a violência cega e extrema matou o maior número conhecido de crianças – 50% mais do que em 2016”, afirmou a UNICEF num relatório, adiantando que 2018 se anuncia ainda mais sombrio.

Perto de 200 crianças foram mortas no enclave rebelde de Ghouta oriental desde fevereiro em bombardeamentos das forças do regime de Bashar al-Assad, segundo o OSDH.

O observatório assinalou que as crianças representam 20% das vítimas civis da ofensiva contra a região, nos arredores de Damasco.

A UNICEF indicou ainda que cerca de 3,3 milhões de crianças estão expostas a engenhos explosivos em todo o país, referindo que dezenas de escolas foram atingidas apenas em 2017.

As crianças que ficam com deficiências “correm o risco de serem negligenciadas e estigmatizadas”, disse o diretor regional da UNICEF, Geert Cappelaere.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.