O sismo ocorreu dois dias depois de o vulcão Etna, o mais alto e mais ativo da Europa, ter entrado em erupção.

O sismo atingiu a ilha às 3h19 [2h19, hora de Lisboa], levando a população a sair das suas casas e a dormir nos carros, de acordo com a Reuters.

Pelo menos 30 pessoas ficaram feridas, todas sem gravidade, segundo as autoridades. 10 foram levadas para o hospital por ambulâncias e as restantes por familiares e amigos.

Algumas casas antigas e outras devolutas acabaram por ruir parcialmente na localidade de Fleri e Zafferana Etnea.

O Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia (INGV) informou que o sismo ocorreu a apenas um quilómetro de profundidade, com epicentro junto às localidades de Viagrande e Trecastagni.

O mesmo instituto diz que, desde segunda-feira, depois do início da erupção do Etna, já se registaram mais de 130 tremores.

Uma pequena parte da estrada junto o mar foi fechada por precaução, mas o aeroporto de Fontanarossa, na Catânia, a capital da província, próximo do vulcão, permanece aberto, segundo a agência France-Presse.

O chefe da proteção Civil deslocar-se-á hoje à Sicília para ver os prejuízos causados pelos abalos, na sequência da erupção do Etna.

O Etna, com 3.300 metros, é o vulcão mais ativo da Europa, com erupções frequentes. A sua última fase eruptiva foi na primavera de 2017 e a última grande erupção, no inverno de 2008/2009.

*Com agências

[Última atualização às 11h30 - Atualiza número de feridos para 30]

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.