Falando nas Conferências do Estoril, o ex-presidente do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas das Nações Unidas afirmou que "sozinhos, os governos não vão agir" para se alterarem consumos de energia e reduzirem emissões nocivas para a atmosfera.

"Os jovens é que têm que liderar" o combate às alterações climáticas, decidindo ser ativistas por energias renováveis e alterações nos padrões de consumo, afirmou.

Perante uma plateia maioritariamente jovem, Pachauri apelou para que "formem grupos nas escolas e universidades" e para que comecem a dar o exemplo na sua vida diária: mudar do carro para a bicicleta e andar mais a pé, reduzir o desperdício da alimentação à roupa e comer menos carne.

Essas mudanças beneficiarão cada um e o planeta inteiro, frisou, alertando que se não agirem agora, serão os jovens de hoje a sofrer mais com as consequências.

Junto dos políticos, "têm poder nas eleições", dizendo aos políticos que não votarão neles se nos programas não estiverem medidas para combater as alterações climáticas.

Rajendra Pachauri referiu que "há lóbis poderosos que querem que tudo continue como dantes, mas isso levar-nos-á à ruína", alertou, referindo que o mercado publicitário envolve anualmente "600 a 700 mil milhões de dólares" mas que "infelizmente, a Natureza não tem publicitários".

Referindo-se a Portugal como um dos países mais vulneráveis por causa da extensa costa, apontou a subida do nível do mar como um dos efeitos inevitáveis do aquecimento global.

A isso, nem o cético das alterações climáticas e Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se poderá escapar, uma vez que a sua propriedade de luxo na Flórida, está numa zona de perigo, lembrou.

"A estupidez e os erros" da geração anterior não devem desencorajar os jovens, recomendou, defendendo que a soberania nacional de cada país, que decide o que fazer com os seus recursos, deve estar ao serviço das pessoas.

Inverter as alterações climáticas não é recuar no progresso, salientou, referindo que a ciência e a inovação contribuem decisivamente para criar maneiras inovadoras de combater as alterações climáticas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.