“A SPM lamenta verificar que, nos critérios de correção publicados pelo IAVE [Instituto de Avaliação Educativa], no item 14 seja atribuída 75% da cotação a uma resposta integralmente errada”, lê-se no comunicado da SPM.

Segundos os critérios de correção publicados pelo IAVE, a correção pode atribuir quatro ou três pontos às respostas dos alunos: quatro pontos na proposta considerada completamente correta e três pontos noutra proposta de correção para um nível de desempenho inferior.

Segundo a SPM, esta segunda hipótese de pontuação, que atribui 75% do total possível na classificação a este item, está “integralmente errada”.

Numa apreciação global da prova realizada hoje por 89.980 alunos em todo o país, a SPM entende que “esta prova é mais simples do que a do ano anterior, ficando assim com um nível aquém do grau de exigência adequado ao final da escolaridade básica”.

Apesar de afirmar que o grau de exigência não se adequa ao nível de escolaridade testado, a SPM diz também que a prova “está em conformidade com os conteúdos do Programa e Metas estabelecidas, não contém erros científicos, tem uma estrutura análoga à prova do ano anterior e tem uma duração adequada”.

Contactado pela Lusa, o IAVE disse não querer comentar as incorreções apontadas pela SPM.

O IAVE é a entidade responsável pela realização e aplicação das provas e exames nacionais.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.