Segundo o governador da província do Uíge, Mpinda Simão, para além do surto de malária, a província enfrenta agora casos de cólera, já confirmados pelas autoridades sanitárias.

“Para além da malária surgiu a epidemia da cólera. No início não tínhamos a certeza, os técnicos fizeram o seu trabalho, recebemos a confirmação de que os casos de diarreias que temos aqui na província estão ligados à cólera”, disse Mpinda Simão, em declarações emitidas pela rádio pública angolana.

O secretário de Estado para a Saúde Pública, José Vieira Dias da Cunha, que se deslocou àquela província do norte de Angola para avaliar a situação, disse que é necessário haver melhorias no saneamento básico e distribuição de água potável, para se evitar situações como a que está a ocorrer.

“É muito importante que todos nós saibamos que a cólera é uma doença que tem muito a ver com o saneamento do meio ambiente e com a distribuição de água potável. Esses dois eixos se estiverem devidamente resolvidos, dificilmente uma população vai contrair esse tipo de doença”, frisou.

A epidemia de cólera está a afetar os três principais bairros da cidade do Uíge, segundo confirmaram as autoridades sanitárias.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.