“Encontro-me bem de saúde, não aparento qualquer dos sintomas habituais da covid-19 e estou a cumprir as normas e recomendações da Saúde 24. Apesar de estar em isolamento, sinto-me em condições de continuar a acompanhar toda esta situação e não hesitarei em tomar medidas, em coordenação com as autoridades de saúde, que sejam essenciais ao bem-estar e saúde da nossa comunidade”, refere Carlos Silva Santiago.

O autarca partilhou esta mensagem com os munícipes na sua página do Facebook e adiantou que o concelho “está a viver nestes dias momentos difíceis por causa dos casos de covid-19 que foram identificados pela Autoridade de Saúde”.

Sernancelhe tem vindo a registar, nos últimos dias, segundo os dados publicados pelo município, um aumento diário de novos casos e, no domingo, foram assinalados 11 novos casos, havendo agora 36 infetados no concelho.

“Nesse sentido, e atendendo ao panorama do nosso concelho em matéria de casos covid-19, e embora não tivesse sintomas de relevo, senti-me na obrigação, quer como presidente de Câmara quer enquanto sernancelhense com responsabilidades públicas, de realizar o teste à covid-19, que deu positivo”, assume o autarca.

Na sua mensagem, refere que seguiu “todos os procedimentos”, como o de informar as autoridades e “os contactos estabelecidos durante este período para que também lhes seja proposto o isolamento profilático, o que está a ser cumprido por todos”.

Carlos Silva Santiago adiantou aos sernancelhenses que o que está a acontecer no município, “já outros concelhos viveram” e “acontece noutros pontos do país” e isso “é difícil, mas não é insuperável”.

“Este é um vírus invisível e imprevisível e, tal como outros o superaram, nós também vamos conseguir. O apelo que deixo a todos é que não devem ter complexos em assumir se tiverem sintomas da covid-19, devendo de imediato reportá-los às autoridades de saúde ou a Proteção Civil Municipal”, aconselha.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 880.396 mortos e infetou mais de 26,9 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.840 pessoas das 60.258 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.