O macho Salao e fêmea Sidra, ambos com 13 meses, foram libertados no concelho de Alcoutim, entre as localidades de Pereiro e Fonte Zambujeira de Cima, numa zona do Vale do Guadiana situada mais a sul do que a escolhida em fevereiro para a libertação dos primeiros dois exemplares devolvidos à natureza na região algarvia.

O ministro do Ambiente e da Ação Climática, Duarte Cordeiro, assistiu à libertação dois felinos e enalteceu o sucesso que o programa de reprodução e conservação do lince-ibérico tem tido ao longo dos anos, graças ao trabalho do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), que tutela o projeto em Portugal, mas também aos proprietários dos terrenos selecionados para o efeito.

“O lince é uma espécie ameaçada, mas tem sido um programa com muito sucesso na Península Ibérica e no nosso país em particular. Recordo que, nos anos 90 [do século XX] tínhamos uma população de cerca de 100 linces ibéricos e atualmente temos cerca de 1.100 linces-ibéricos, entre Portugal e Espanha, mais de 200 em Portugal”, quantificou o governante.

Duarte Cordeiro sublinhou que o trabalho desenvolvido pelo ICNF no Centro de Recuperação do Lince-Ibérico, em Silves, tem sido articulado com o outro centro existente em Espanha e está a assegurar a “expansão do território do lince-ibérico”.

“E é muito importante este programa continuar a ter o sucesso que tem tido, que revela que estes programas de apoio à conservação das espécies fazem todo o sentido e são também uma referência e um exemplo para outras espécies que merecem igual tratamento”, acrescentou.

O lince-ibérico chegou a estar em vias de extinção na Península Ibérica, devido à degradação do habitat e pela falta de fontes de alimentação, mas o trabalho realizado em cativeiro nos centros de reprodução de Silves e Espanha tem permitido a recuperação da espécie, que conta já com mais de um milhar de exemplares na Península Ibérica, 200 dos quais em Portugal.

Por isso, Duarte Cordeiro assegurou que o projeto “vai ter todo o apoio que merecer para continuar”.

Após a libertação em Alcoutim, o governante seguiu para Silves, onde foi apresentado um Complexo de Treino e Recuperação de Lince-ibérico (CTRLI), inserido no recinto do Centro Nacional de Reprodução de Lince-Ibérico.

Este equipamento conta, segundo o ICNF, com dois cercados de treino para “verificar se os jovens linces destinados a libertação no habitat natural (com cerca de 10 meses de idade) dispõem de condições físicas e comportamentais adequadas para a sua subsequente sobrevivência”.

O complexo, orçado em cerca de 600.000 euros, permite também “acolher temporariamente, tratar e recuperar exemplares de lince-ibérico provenientes da natureza, doentes ou feridos, e que apresentem condições de recuperação viável, em condições de biossegurança”, acrescentou o ICNF.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.