A pouco mais de um mês da data do referendo sobre a independência anunciado pelo presidente do governo da Catalunha, Rajoy falou de “carinho” pelos catalães e Barcelona e elogiou a polícia autónoma catalã, os Mossos d’Esquadra, após dois atentados a semana passada, que causaram 15 mortos e mais de 100 feridos.

“Quero apelar a todos para participarem na manifestação de amanhã (sábado) em Barcelona. Com toda a sociedade catalã e toda a Espanha, voltaremos a dar uma mensagem de unidade e de rejeição do terrorismo e de carinho pela cidade de Barcelona”, declarou Rajoy numa conferência de imprensa.

O rei Felipe VI participa na manifestação, organizada pelo governo catalão e a câmara de Barcelona, após os atentados na capital da Catalunha e na localidade balnear de Cambrils, mais a sul.

“Ele vai expressar o seu carinho pelos cidadãos de Barcelona, de Cambrils, da Catalunha”, declarou o chefe do governo ao explicar a participação inédita do rei numa manifestação.

Rajoy assinalou também que a polícia catalã “fez um grande trabalho”.

“A célula terrorista foi completamente desarticulada em apenas 100 horas após o atentado. Isso diz muito sobre a preparação e as capacidades dos Mossos”, adiantou.

Nos últimos dias, um sindicato de polícias e a imprensa nacional criticaram a polícia catalã por falta de cooperação com as forças de segurança nacionais.

O primeiro-ministro afirmou, ao contrário, que a cooperação foi “fluida e contínua” entre as polícias e entre Madrid e o governo regional catalão.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.