Em causa está uma entrevista para a emissora Fox News em que Trump afirma que as crianças são "quase imunes" ao novo coronavírus. "O vídeo inclui afirmações falsas de que um grupo de pessoas é imune à doença, o que representa uma violação das nossas políticas sobre desinformação", informou um porta-voz do Facebook à AFP.

Esta é a primeira vez que a rede social remove uma publicação da página do presidente por "desinformação", embora tenha excluído uma publicação da página da sua campanha eleitoral por usar um símbolo nazi.

O Facebook removeu o vídeo no momento em que enfrenta pressões para evitar a divulgação de informações falsas, sendo também acusado de censurar opiniões. Ao ser consultado sobre a decisão da rede social, durante entrevista coletiva na Casa Branca, Trump defendeu-se: "Falo de ficar gravemente doente. Se olharmos para as crianças, elas podem livrar-se do coronavírus muito facilmente."

O mesmo vídeo foi apagado do Twitter, que anunciou ter bloqueado temporariamente a conta oficial da campanha de reeleição do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.