Estas contas foram encerradas "por fazerem ameaças e promoverem atos terroristas", na maioria vinculados ao grupo Estado Islâmico, informou o Twitter no seu blog. "Tal como a maioria das pessoas em todo o mundo, estamos horrorizados com as atrocidades cometidas por grupos extremistas", completou. "Condenamos o uso do Twitter para promover o terrorismo, e as regras do Twitter deixam claro que este tipo de comportamento, ou de qualquer ameaça violenta, não é permitido no nosso serviço".

O anúncio foi feito depois de os Estados Unidos, juntamente com outros governos, terem pedido ao serviço de microblogging que tomasse medidas mais agressivas para pôr fim a atividades que têm como objetivo recrutar e planear atos violentos. "Como muitos especialistas e outras empresas comprovaram, não há um algoritmo mágico para identificar o conteúdo terrorista na Internet. Por isso, as plataformas globais on-line veem-se forçadas a fazer julgamentos difíceis baseados em informações e indicações muito limitadas", acrescentou o Twitter.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.