“Trata-se de uma anomalia genética semelhante ao albinismo, que se designa por ‘xantismo’ e que se caracteriza pela ausência ou inibição de células responsáveis pela pigmentação escura (melanóforos), dando lugar a outras, responsáveis por pigmentação amarela (xantóforos)”, explicou o biólogo Nuno Vasco Rodrigues à agência Lusa.

O fenómeno já tinha sido registado em algumas espécies de peixe, apresentando parte ou todo o dorso numa coloração alaranjada, mas foi agora registado, pela primeira vez em todo o mundo, num exemplar de ‘Trachurus mediterraneus’, uma das mais de cem espécies de carapau existentes.

Neste caso, o dorso do carapau é todo alaranjado, sendo por isso um caso de xantismo total.

Nuno Vasco Rodrigues explicou que “por os carapaus serem peixes oceânicos pelágicos (vivem em água aberta e não junto ao fundo) e serem presa habitual de outros peixes, apresentam uma zona dorsal escura, para se confundirem com o fundo do mar e não serem detetados pelos predadores e presas quando vistos de cima, e a zona ventral clara, sendo difícil a deteção quando observados por baixo (confundindo-se com a luz vinda da superfície)”.

Peixes xânticos são conhecidos em ambientes controlados, como é o caso da aquacultura, onde não há predadores e a probabilidade de sobrevivência é maior, e o biólogo apontou que “essa condição pode ser mais frequente do que se pensa, mas os exemplares de cor laranja são muito cedo predados e não sobrevivem”.

O carapau laranja surgiu em capturas efetuadas em 2018 por pescadores de Sines e foi dado a conhecer aos investigadores.

O estudo dos biólogos Nuno Vasco Rodrigues, Frederico Almada, do Instituto Politécnico de Leiria, e Simão Santos, do Oceanário de Lisboa, foi submetido à revista científica ‘Cahiers de Biologie Marine’ e já foi aceite, aguardando-se a sua publicação em novembro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.