Entre 2020 e 2021 verificou-se o crescimento de 3,7% no número de casos de violações denunciadas no país, revertendo a queda de 12,1% registada entre 2019 e 2020.

O Brasil também informou 1.319 feminicídios no ano passado, ou seja, uma mulher foi morta a cada sete horas no Brasil, dado que aponta uma ligeira queda de 2,7% face a 2020.

“Esses dados mostram a necessidade da implementação urgente de políticas públicas de acolhimento, prevenção e repressão diante da violência contra a mulher no Brasil”, declarou Samira Bueno, diretora da ONG, citada em nota à imprensa.

“Apesar de um ligeiro declínio no número de feminicídios, os números continuam muito altos”, acrescentou.

A taxa de mortalidade por feminicídio no Brasil foi de 1,22 mortes a cada 100 mil mulheres, recuo de 3% face ao ano anterior, quando a taxa ficou em 1,26 mortes por 100 mil habitantes do sexo feminino.

O relatório, baseado em denúncias coletadas em esquadras da polícia diz respeito apenas as violações e crimes denunciados, que são apenas uma fração de todas as violações cometidos de facto contra mulheres brasileiras.

Os dados mostram que o número de feminicídios aumentou particularmente de fevereiro a maio de 2020, no auge das medidas restritivas que levaram os brasileiros a ficarem confinados em suas casas no início da pandemia de covid-19.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.