Na praça Pedro IV, a calçada foi ocupada por várias centenas de estudantes do ensino superior, a paisagem preenchida por cartazes e o ar enche-se de gritos reivindicativos.

"A educação é um direito, sem ela nada feito", é uma das mensagens que os estudantes entoam repetidamente, no dia em que se assinala o Dia Nacional do Estudante e os 60 anos desde a crise académica de 1962.

O protesto partiu de um manifesto da associação de estudantes da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e subscrito pela Federação Académica de Lisboa e por associações de estudantes de outras 12 instituições em Lisboa, Porto e Caldas da Rainha.

As reivindicações são antigas, como comprovam os cânticos sabidos na ponta da língua, que vão ser repetidos ao longo das ruas de Lisboa até à Assembleia da República, o destino final desta e de outra manifestação que reúne no Terreiro do Paço outros tantos estudantes.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.